Filmes

Filme: Um Crime de Mestre (resenha)

Título: Um Crime de Mestre (Fracture)
Direção: Gregory Holbit
Roteiro: Daniel Pyne, Glenn Gers
Elenco: Anthony Hopkins, Ryan Gosling, , David Strathairn, Rosamund Pike, Embeth Davidtz, Billy Burke
Ano: 2007; duração: 1h53min; país: Estados Unidos/Alemanha

Eu atirei na minha esposa.

Quando eu assisti esse filme pela primeira vez, eu passei dias absolutamente encantada por ele, repassando o enredo na minha cabeça o tempo inteiro e me perguntando como os roteiristas tinham chegado a essa história tão perfeitamente elaborada. De fato, esse filme me impressionou tanto que eu até mesmo me baseei em alguns pontos dele pra escrever uma fanfic (a que eu mais gosto das que escrevi, aliás). Precisei assistir de novo pra relembrar todos os detalhes mínimos dessa história antes de escrever a resenha. Resultado: eu ainda continuo deslumbrada com a história.

Eu adoro o gênero policial. Filmes, livros, séries; tudo, qualquer coisa que tenha crimes e investigação policial no meio já me deixa interessada de antemão. Este filme tem bastante disso, apesar de contar com um julgamento em boa parte , que é um aspecto que eu já não sou tão fã. Ainda assim, eu colocaria Um Crime de Mestre na lista dos meus dez filmes favoritos, sem a menor dúvida.

O longa retrata o que seria o último caso do promotor de justiça Willy Beachum (Ryan Gosling) antes de sair do emprego numa repartição pública e partir para sua ambição maior, trabalhar em um escritório particular de uma grande firma de advogados. Seus planos são interrompidos, no entanto, quando o caso repassado para ele conta com a confissão de tentativa de assassinato por parte de Ted Crawford (Anthony Hopkins), um brilhante arquiteto que admitira, na cena do crime, ter atirado em sua própria esposa após descobrir que ela o estava traindo. Beachum considera o processo como já ganho, uma vez que contava com a confissão por parte do principal suspeito, e negligencia o caso, dando mais atenção para sua futura mudança de cargo. O jogo vira quando a perícia encontra evidências que, ao invés de ajudarem a condenar Crawford, o inocentam das acusações que recaem sobre ele. Beachum se vê então em um dilema entre largar o caso e partir para seu novo emprego ou aceitar o desafio de provar que Crawford é, de fato, culpado. E um dos pontos mais interessantes da história é esse jogo de ego entre o promotor e o acusado, que acompanha a história do início ao fim.

Fracture

Não quero me aprofundar muito nos pormenores do enredo porque em um filme desse tipo, em que cada mínimo detalhe conta, qualquer coisinha já é um spoiler gigantesco. Só fica a dica: assistam, assistam, ASSISTAM a esse filme, ele realmente vale muito a pena e deixa a gente deslumbrada com a genialidade do plano do Crawford. Vou aproveitar pra fazer menção honrosa à atuação do Anthony Hopkins também, que, como sempre, simplesmente deu um show de interpretação. Lógico, óbvio, evidente que só pra reforçar tudo que eu já falei, vou deixar o trailer do filme pra vocês sentirem o gostinho de Um Crime de Mestre e ficarem na vontade de assistir também:

Avaliação: 5 xícaras

(Tem como dar mais de cinco xícaras, produção?)

Anúncios

8 comentários em “Filme: Um Crime de Mestre (resenha)

  1. Meu pai é apaixonado por esse filme, eu sempre tive curiosidade em assistir.
    Eu não gosto mundo do Ryan Gosling, ele nunca me convenceu atuando (com exceção de All Good Things, que eu gostei demaisdemais), mas gostei da história, vou procurar pra ver. Adoro gênero policial que foca mais na investigação e no trabalho dos advogados e promotores.

    1. Nossa, assista! Sério, é muitomuito bom. Ryan Gosling está longe de ser o ponto alto desse filme, na minha opinião, mas ele conseguiu convencer como Willy Beachum sim. Quando assistir, me conta se curtiu ou se curtiu HAHAH Parei :3

  2. Nossa, já me falaram absurdamente bem desse filme tantas vezes, e eu nunca quis ver por um motivo bobo: Ryan Gosling (não que eu tenha alguma coisa contra ele, mas sabe quando todo mundo tá babando o cara e você simplesmente prefere não ver a cara dele?), mas quero ver agora, porque também adoro coisas nesse estilo, fiquei curiosa.

  3. Não sou muito de filmes policiais, definitivamente meu amor é mais pelas fantasia e romance. Mas esse, sem dúvidas, é um filme que merece ser lembrado.

    Ele era apenas um filme jogado na estante de casa até aquele dia em que sentamos eu, você e a Jiva para assistir. Depois daquele dia ele ganhou um lugar especial na estante, um fato.

    1. AWN, aquele dia, cara. Eu saí da tua casa toda ~dçldgç~dlg~ pelo filme. Assisti de novo esses dias e lembrei muito de vocês e dos nossos comentários do filme HAHAHA Definitivamente ele merece sim um lugar especial na estante <3

  4. JESUS AMADO, CECIL! Eu amo essa temática e o personagem do Hopkins parece ser exatamente o tipo de personagem que mais me atrai em filmes e tudo o mais. Preciso baixar e preciso AGORA. Vou caçar torrent right now.

    Parabéns pela resenha. <3

    1. Todos ama o personagem do Anthony Hopkins nesse filme HAHAH Tu vai adorar ele também, tenho certeza. Não tem como não amar.

      Thanks <3 Depois me diz o que achou!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s