Filmes

Filme: A Origem dos Guardiões (resenha)

aorigemdosguardioes

título: A Origem dos Guardiões (Rise of the Guardians)
direção: Peter Ramsey; estúdio: Dreamworks
elenco: Chris Pine, Jude Law, Hugh Jackman, Alec Baldwin, Isla Fisher
ano: 2012; duração: 97 minutos
gênero: animação, aventura, infantil

 

Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Fada do Dente, Sandman, Bicho-Papão e… Jack Frost? Sim! Jack Frost.

A minha resenha de hoje é sobre uma animação incrível que junta todos esses personagens que nós acreditamos quando somos crianças (aqui no Brasil não sabemos quem é Jack Frost, porque acho que faz calor demais pra ele resolver se aventurar por essas bandas…) e que o nosso imaginário de criança nunca vai deixar de acreditar, porque quem nunca tentou ficar acordado esperando a fada do dente trocar o dente por aquela moeda que ia te fazer comprar o doce na escola no dia seguinte?

Antes de começar de fato a resenha, eu vou fazer um comentário bem rápido sobre quem é Jack Frost, já que, como eu disse lá em cima, nós não o temos como personagem do nosso folclore.

Jack Frost nada mais é do que a personificação do frio; sabe quando, de repente, aquele vento muito gelado bate e você arrepia dos pés à cabeça? Ou quando, também de repente, seus pés ficam parecendo blocos de gelo? Pois sim, Jack é o responsável. De origem anglo-saxã, a lenda de Jack Frost diz que ele é um espírito bom e amigável que gosta de se divertir e divertir as pessoas, mas não deve ser desafiado nem ofendido, pois ele se vinga jogando neve sobre a pessoa até que ela congele. Ele é responsável pelos formatos dos flocos de neve e pelos desenhos do vidro congelando nas janelas. Resumindo: Jack é um cara bacana, mas melhor não provocar muito.

Em A Origem dos Guardiões, os personagens que conhecemos como Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Fada do Dente, Sandman – que é chamado aqui de João Pestana, ou como a famosa areia nos olhos de sono – e Bicho-Papão ganham outros nomes. O bom velhinho é chamado de North (traduzido para Norte, em português), o orelhudo dos ovos é chamado de Bunny (traduzido para Coelhão, em português, devido ao seu tamanho na animação), a fada é chamada de Tooth (mantiveram Fada em português), o responsável pelo sono é chamando de Sandy e a assustadora criatura debaixo da cama (ou dentro do armário ou do baú para você, amigo potterhead) é chamada de Pitch (traduzido como Breu, em português).

Os Guardiões North, Bunny, Tooth e Sandy foram nomeados pelo Homem na Lua (Man in Moon) e são responsáveis por cuidar das crianças e fazer com que elas acreditem, durante toda a infância, que eles são reais e que os ovos de páscoa, os presentes de Natal, a moeda em troca do dente e os sonhos tenham um pouco de magia por trás e não são apenas coisas que os adultos inventaram (como todos descobrimos depois que a infância acaba). Porém a missão deles é ameaçada quando Pitch e seus pesadelos começam a impedir que eles troquem os dentes por moedas e organizem as buscas aos ovos de Páscoa e começam, também, a encher as crianças de medo.

O Homem na Lua então percebe que os guardiões precisarão de ajuda e nomeia um quinto guardião, Jack Frost que, não aceito de imediato, precisa buscar a confiança dos outros e, além disso, a confiança nele mesmo, que não acredita ser um guardião de verdade, já que as crianças não acreditam nele, portanto não o veem. E a animação gira em torno da busca de Jack por seu cerne, do porque o Homem na Lua o escolheu.

Ainda que com o enredo voltado para o público infantil, A Origem dos Guardiões é uma animação interessante e muito bem feita que vale, principalmente, pelo elenco de peso escalado para fazer as vozes dos personagens. North é dublado por Alec Balwin, Bunny por Hugh Jackman, que manteve seu sotaque australiano (fato que permite Jack chamá-lo de canguru, como forma de provocação). Tooth é dublada por Isla Fisher, Jack Frost por Chris Pine e Pitch é brilhantemente dublado por Jude Law – na minha opinião, é a melhor voz do filme, mesmo que todos sejam fantásticos.

Avaliação: 3,5 xícaras (3,5/5)

Uma animação da Dreamworks que eu recomendo a todos que quiserem voltar um pouquinho na época na qual acreditavam em Papai Noel e Coelho da Páscoa. “Enquanto uma criança acreditar, nós estaremos aqui para lutar por ela.”

Anúncios

5 comentários em “Filme: A Origem dos Guardiões (resenha)

  1. MANO! Que coisa mais lindinha! Eu adoro o Jack Frost <3 Acho ele uma "lenda" muito legal e fico super triste por não termos ele por aqui. Podiam ter criado uma versão pro Brasil (e não consegui não pensar no nome João Calor haha). Eu não me lembro se vi esse filme ou se vi só o trailer – memória péssima, I know -, mas vou ver se baixo pra assistir nas férias! *-* Linda resenha.

  2. Aaa aluguei o filme da Sky, passei o dia assistindo. Jack é um amor mesmo e bem poderia existir por aqui também, mesmo que fosse lá pelo sul do país nos poucos meses de inverno. Adorei a resenha. *-*

    1. Quem sabe algum pai ou mãe naquelas cidades pequenas e alemãs lá no sul não contaram pras crianças que o responsável pelo frio é o Jack… E obrigada pelo comentário, Marília. Fico feliz que você gostou do filme!

  3. AAAAAAAWWWWWWWWWWWWWWW, eu fui ver esse filme com a minha irmã e não dava NADA por ele. Acabei saindo do cinema mais empolgada do que a criança, porque, gente, esse filme é genial. Acho que eu só fiquei meio decepcionada, porque tava esperando mais do Sandman do que ele foi (convenhamos, ele parece um personagem amarelo saído de um filme mudo, em preto e branco, de comédia), mas o Jack Frost é um gatinho animado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s